Publicado por: joaobdr | 31/07/2011

Teorias Sobre Deus

Teorias Sobre Deus

Observação: Esta é apenas uma TEORIA formulada a partir de percepções meramente humanas. Limitado como sou, por ser somente um “ser humano”, não poderia afirmar com propriedade acerca do que seria esse ser superior, ao qual nos referimos por “Deus”. Do contrário, estaria eu me contradizendo.

1 – Do Ser Superior

E se, talvez, todos nós fôssemos um só?

Segundo o conceito Judaico-Cristão sobre Deus, Ele está em todo lugar, pois é Onipresente; tudo sabe, pois é Onisciente; e tudo pode, pois é Onipotente.

Bom, já que Deus está em todo lugar, estaria ele em cada simples partícula existente no universo? Pois então, Deus seria o próprio universo. Desde onde exista matéria até onde, aparentemente, não exista nada, Deus estaria presente e seria Ele a própria matéria e a própria falta de matéria, ou seja, o “Tudo” e o “Nada”.

Seríamos nós apenas uma projeção da consciência de Deus? Assim como nos fora dada a ilusão do livre-arbítrio, poderia ter-nos sido dado, também, a ilusão de que somos seres distintos e reais? Pois, talvez fôssemos apenas as várias facetas de Deus, projetando-Se em matéria para que pudesse se compreender. Afinal, como é dito que “fomos feitos à imagem e semelhança de Deus”, poderíamos ter sido criados fisicamente iguais, como também, mentalmente iguais: como se todos os nossos pensamentos e problemas nada mais fossem do que os próprios pensamentos e problemas de Deus, mas com a ilusão de que estaríamos pensando e agindo por nós mesmos. Projetando-Se em nós, poderia Ele, então, compreender-Se de um jeito melhor.

2 – Da Existência

E se todos nós estivéssemos vivendo, existindo em Deus? Pois, como Deus pode estar em todos nós, e nós, em Deus, então, Deus estaria em Si próprio!

Afinal, Ele pode estar em todo lugar ao mesmo tempo, inclusive em Si mesmo. Tudo é Deus.

Deus seria a própria existência e a falta do existir. Ele é o concreto e o abstrato; o conceito Divino e o conceito Humano. O conceito humano de “amor” e de “ira”; de “bem” e de “mal”; de “certo” e de “errado”. O “tempo” e o “espaço”, a “luz” e a “escuridão”; o “som” e o “silêncio”. O nosso próprio senso, e ilusão, de livre-arbítrio. Conceitos esses tão limitados pois são conceitos humanos, e porque nos foi dada a ilusão de viver seguindo tais conceitos. Deus pode ser tudo isso e muito mais. Também pode não ser nada disso, já que tudo isso é fruto de nossa mentalidade. Mas, uma vez que Deus é o “concreto e o abstrato”, o “tudo e o nada”, então Ele pode ir além disso tudo.

Portanto, não existe mais nada no Universo além do próprio Deus. Só existe Deus e mais nada. Mas, se Deus também pode ser o “Nada”, então, concluo que só exista Deus e mais Deus.

3 – Do Julgamento Divino

Achar que podes entender o julgamento de Deus não seria uma tentativa de auto-afirmação, de mostrar, com toda a propriedade, o TEU, e tão somente TEU ponto de vista, e não o Deus, com relação a algo ou alguém, ou de humanização (e, consequentemente, de inferiorização) de Deus?

Ou ainda, quem sabe, uma maneira de se julgar as pessoas, apenas utilizando o nome de Deus para que ninguém, por sua vez, te julgue por estar julgando outrem?

Mas, quem aqui estaria num patamar de poder entender o julgamento Divino?

Tudo isso seria apenas uma tentativa inconsciente de vir a tornar-se um Deus, quando do julgamento do próximo, embasando-se de escritos e conceitos Bíblicos. Pois, talvez, o Julgamento Divino não seja dessa forma, como está descrita nas escrituras. Mas talvez seja. Mas, qual de nós pode garantir alguma coisa? Se fosse assim, tão simples, tão fácil, qualquer um de nós poderia ser Deus (partindo do princípio de que não somos todos um só e, muito menos, Deus, como sugerido nas teorias acima).

Um exemplo: Uma pessoa diz que não tem nada contra homossexuais, mas logo em seguida diz que Deus condena tal ato, e provavelmente mandará essas pessoas todas ao inferno. Não seria esse o TEU pensamento? Afinal, diga-me: se há duas vagas no Paraíso e duas pessoas a serem julgadas, uma pessoa íntegra e quem sempre prestou ajuda ao próximo, mas que é homossexual, e outra, que é um facínora, assassino sem escrúpulos, porém, heterossexual. Qual das duas realmente deve ir ao Paraíso? Somente uma das duas? As duas? Ou nenhuma delas? Se entendes realmente com funciona o Julgamento Divino, então, deves me responder com toda a propriedade. Mas creio eu que seja mais difícil como pensas.

Seria mais simples se as pessoas dissessem o que pensam sem hipocrisia, e não utilizando o nome de Deus para isso.

(Texto de João Benedito Dias Ribeiro)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: