Publicado por: joaobdr | 07/04/2012

Quando o Dia Chegar…

Sempre estive à espera de algo que preenchesse a lacuna de minh’alma, mas nunca esperei encontrar. E nunca soube onde eu poderia encontrá-la, e nem mesmo como começar a procurar.

Já tentei de tudo, e ainda sigo em frente, tentando sempre mais uma vez; um novo alguém, um novo hobby, qualquer coisa de novo que causa uma mudança em algum aspecto meu, seja ele interior ou exterior. Mas tudo um dia chega ao seu fim, e o ciclo dessa busca então recomeça, novamente…

Quem sabe um dia tudo possa mudar. TUDO!

“E quando as nuvens estiverem caindo sobre nós, olhe bem à sua frente, e veja que eu ainda estarei lá, esperando o Milagre Maior chegar até mim e preencher o vazio da existência sem vida… E você vai perceber que estive lá o tempo todo, esperando… E assim estarei por todo o tempo que restar…”

E será então o momento em que tudo será esclarecido, e o tempo da mentira será deixado para trás, em meio aos nossos erros…

[João Dias]

Publicado por: joaobdr | 06/04/2012

Mais Músicas Idiotas…

Bom dia, boa tarde, boa noite…

Ultimamente, continuo escutando algumas músicas pelo rádio, ou mesmo saindo do celular ou da caixa de som do carro de algum idiota, e que realmente me chamam a atenção. Não pela qualidade, mas sim, pela falta dela.

Por exemplo, um exemplo do nosso supra-sumo da música contemporânea, e que já faz sucesso nos quatro cantos da galáxia: Michel Teló! Eis uma passagem da música “Humilde Residência”:

“Vou te esperar
Na minha humilde residência
Pra gente fazer amor
Mas eu te peço só um pouquinho de paciência,
A cama tá quebrada e não tem cobertor”

Acho que a mulherada vibra com isso pra poder demonstrar que não existe mais essa de “mulher interesseira”. Afinal, agora elas querem um cara que possui uma “humilde residência”, e não uma mansão. Ponto pra elas! Imagina só, o cara vai pegar a garota e jogá-la no chão, e amá-la ali mesmo. “Delícia, delícia!”…Excesso de atitude? Não, falta de uma cama decente, mesmo! O bom é que ela poderá fazer inveja a qualquer amiga que porventura já tenha ido ao Japão, afinal, ela também vai poder dormir no chão, e gastando beeeem menos!

É, parabéns! Agora, em vez de interesseiras, vemos uma garotada sem muita expectativa de vida, afinal, qualquer malandrinho que não tem nem um cobertor já está valendo! O que importa é não ficar encalhada! E o pior é que isso tem de sobra por aí; vide as garotinhas que dão o “golpe do baú” em qualquer motoboy ou, engravidam e depois ficam atrás da pensão milionária que eles devem a elas! Isso, quando elas sabem quem é o motoboy… (Sim, já vi muita garotinha que arruma filho com qualquer um só pra segurar o band…ops, digo…o rapaz e fazê-lo pagar uma pensão e constituir uma família, só pra ter um bom status social!)

O bom é saber que as mulheres também não fazem mais conta de serem a “principal”, como vemos aqui na música “Eu Quero Ser a Outra”, da Talita Real, que tá mais pra uma mentira de primeiro de abril:

“Eu quero ser a outra que beija tua boca
E te faz sonhar
A outra que sempre está cheirosa,
Que você acha gostosa
E tá louco por amar”

É…Tem que estar muito louco pra amar uma dessas, não? Depois, a criança escuta isso com muita empolgação, tem um momento de putariazinha com alguém, acaba com o coraçãozinho partido em mil pedacinhos e vai desabafar com frases bonitinhas e deprês no Facebook…Frases que achou em algum blog, ou em alguma outra música, o que explica a falta de regularidade na gramática utilizada de uma publicação a outra…

Ah, sim! Outro trecho da mesma música:

“Te encontrar sempre às escondidas
Fruta proibida, pecado e prazer
Vou me fazer de pura e inocente
Pra ganhar presentes e fingir que amo você”

Depois, o homem não presta, né? Sei, sei…
A gota d’água foi escutar uma versão meio sertaneja, meio forró (ou sei lá o quê) de “Someone Like You, da Adele. Pra quem não sabe, é a “música da Griselda”…Ah, já sabe de qual música estou falando, né, espertão? Parabéns pra você, então!
Sabe quando você escuta uma música e sente vergonha alheia por causa dela? Então…
E quando vocês escutarem, em alguma rádio popular, uma introdução parecida com “Someone Like You”, mas com gritinhos histéricos de groupies idiotas, podem ter certeza: é “Vou Deixar Rolar”, da dupla Gustavo Moura e Rafael! Só que, em determinado trecho, a música ganha um andamento diferente, e chega a se “transformar” totalmente em outra música! Com sanfona eletrônica, e tudo! o.O
Ah, o que os empresários desses artistas não fazem para se promoverem, hein! Tsc tsc…
Eu nem vou mencionar as letras de Funk (Pancadão), porque isso aqui não é prostíbulo! Mas eu queria MUITO saber por que alguns seres ainda continuam espalhando esses ruídos por onde passam? Querem parecer os donos do morro, os fodões? “Ui, eu sou bandidddinho! Escuto Funk! Curvem-se diante de mim!” Ou será que é por falta de verba pra comprarem a porra de um fone de ouvido? Ou será que são contratados pelo Governo e pela Mídia para espalharem essa porcaria aos quatro ventos, tentando fazer uma lavagem cerebral nas massas?
Continua a pergunta no ar… o.O
[João Dias]
Publicado por: joaobdr | 02/04/2012

1º de Abril!

Boa noite!

Em homenagem ao dia de hoje, gostaria de fazer uma singela homenagem a algumas pessoas…

A todos os políticos corruptos de nossa nação, que mentem na cara dura e estão cagando e andando para o que o nosso povo realmente precisa;

A todas as pessoas que acreditam que uma simples passeata com plaquinhas erguidas e gritinhos por “justiça, justiça” irão provocar uma revolução no nosso Sistema;

A todas as pessoas que dão mais valor ao futebol, às novelas (cada vez mais sem conteúdo), aos pseudo-artistas que nos poluem com suas músicas medíocres e sua arte apelativa, ao Carnaval e aos Reality Shows, sem saber que o verdadeiro Reality Show está sendo promovido através de sua própria ignorância, idiotice e falta de cultura, fazendo-os protagonistas de um meio sádico e repulsivo de diversão que diverte apenas àqueles que comandam o nosso país;

A todos os bandidos que usam roupas casuais, fardas e/ou ternos e gravatas, que cada vez mais tiram a nossa esperança de viver num ambiente saudável e tranquilo, usando de violência física e moral para nos destruir;

A todos nós que ainda não aprendemos quem são os verdadeiros donos desta droga de país!;

A todos aqueles que são incapazes de amar ao próximo e fazer aquilo que é certo, simplesmente pelo fato de ser o correto a ser feito, e não por interesse em garantir um possível lugarzinho lá em cima…;

A todos aqueles que disfarçam seus defeitos e apontam os defeitos dos outros, pra se sentirem superiores;

A todos aqueles que projetam seu ódio contra as minorias, mas se escondem atrás da Religião, usando a desculpa de que certa doutrina religiosa é contra certas práticas, sendo que são elas próprias que abominam essas práticas;

A todos aqueles que pouco se importam com o mundo ao redor, mas que desejam que o mundo inteiro se importe com elas.

Enfim, dedico este post e o dia de hoje a todos vocês, seus MALDITOS HIPÓCRITAS!

Feliz Dia Primeiro de Abril!

(Para quem eu não mencionei, favor, reclamar nos comentários, sim?)

Abraços!

Publicado por: joaobdr | 29/01/2012

Talvez Um Dia Eu Entenda…

Talvez um dia eu entenda por que há tanta injustiça e tanta ganância no mundo. Tanta soberba e tanta luxúria. Tanto desprezo e tanta falta de amor. Tanto desespero em fingir ser o que não se é, ter o que não se tem, viver uma vida “sem vida”. Tanta cobiça e tantas lágrimas derramadas. Tanta podridão e tanta sujeira, por debaixo do tapete e na sala de estar, pra todo mundo ver e se conformar em viver na mesma imundice. Tantas vidas sendo menos valorizadas do que Direitos Autorais. Tanta falta de inocência e tanta desigualdade.

É, talvez um dia eu entenda…

Ou não! =//

[Por João Dias.]
Publicado por: joaobdr | 31/12/2011

Nouvel An!

É, pessoas! Mais um ano chega ao fim. E mais um ano está por vir, trazendo consigo a esperança de um mundo melhor, de pessoas melhores. Sim! São os anos que estão à espera de uma mudança, de um milagre, por parte de todos nós! De que adianta ficar achando que tudo vai melhorar, apenas porque um ano novo está começando, sendo que nós não nos prontificamos a melhorar a nós mesmos?

Mais um ano se foi. Cheio de altos e baixos, shows interessantíssimos, moleques e minas “zika”, “zicando” a nossa vida com suas músicas e suas atitudes deprimentes, mas não tão deprimentes quanto as atitudes de nossos governantes, que continuam a nos explorar e a rir de nossa cara bem na nossa frente! Aliás, nos fazem rir de nós mesmos, achando que estamos rindo deles…Não é mesmo, Rede Globo?

Porém, a mais deprimente das atitudes vem de nossa falta de atitude. Sim! Nós somos os verdadeiros culpados! Queremos mudança, mas deixamos algumas classes nos dominar e nos subjugar, e depois, fazemos passeatas de um dia com placas dizendo “Basta!”, dentre outras coisas. Ficamos jogando conversa fora nos pontos de ônibus, como se isso fosse adiantar alguma coisa. Mas nos indignamos quando o nosso time é roubado na final do campeonato do esporte favorito da nação. Ou, ainda pior, gastamos nosso dinheiro com Loterias e com Reality Shows. Pode uma coisa dessas?

Enquanto não partirmos para o “tudo ou nada”, e começarmos a “quebrar tudo” (talvez metaforicamente, talvez literalmente, quem sabe…), não iremos obter mudança nenhuma! Talvez o mundo realmente acabe nesse ano de 2012, e nada se resolva. Ou, talvez, tudo mude drasticamente. Se não por nós, por “Alguém”…

No mais, vamos parar de esperar tantas mudanças assim do novo ano que se inicia, e vamos nos concentrar em sermos a própria mudança.

Okay! Eu já sei que esse discurso não vai dar em nada, mais uma vez…

[João Dias]

Publicado por: joaobdr | 31/12/2011

À Espera…

“Eu queria poder adentrar as Torres de teu castelo, para ir ao teu encontro, ainda que fosse necessário passar por certas provações. Porém, estou coberto de certeza de que nenhuma provação se igualaria ao fato de passar por essa vida sem uma noite, ao menos…Uma noite com você! Sem o perigo de ver as Torres desabarem e ver o sonho transformado em ilusão, outra vez…

Mas, nem que os Dias passem devagar, nem que os minutos se tornem horas, ainda acredito que esse dia virá. Tardará, mas chegará, enfim!

Pois, enquanto restar uma gosta de esperança, sei que todo sonho há de se tornar realidade…”

[João Dias]

Publicado por: joaobdr | 10/12/2011

“Proteja-Me Do Que Eu Quiser…”

Bonsoir!

Bom, mais um dia 10 de dezembro chega, e é hora de homenagear aquele que é uma de minhas maiores influência no mundo da música: Brian Molko, vocalista e guitarrista da banda Placebo! *-*

Desta vez, estou postando aqui uma versão que eu fiz para uma música do Placebo, chamada “Protect Me From What I Want”, do álbum “Sleeping With Ghosts”, de  2003. Essa canção, a meu ver, relata a posição de alguém que já viveu uma grande paixão, além de vários excessos, festas e tudo o mais, mas que agora leva uma vida solitária e, mesmo indo a festas, continuando com seus excessos, e voltando tarde para casa, já não possui mais aquela pessoa pra quem voltar. E essa pessoa retorna à sua casa, à sua vida medíocre que já não tem mais o mesmo sentido, e fica a observar o tempo passar, e os seus desejos a consumi-lo aos poucos…

Também houve uma versão em francês chamada “Protége-Moi”, que talvez seja a mais conhecida, especialmente na França (óbvio) e Bélgica, por ter sido executada no primeiro DVD ao vivo da banda, e por ganhar um vídeo-clipe polêmico (um verdadeiro curta pornô!), dirigido pelo, não menos polêmico, Gaspar Noé, do controverso “Irreversível” (Irréversible, no original).

E, para comemorar os 39 anos de Brian Molko, aí vai a minha versão em português dessa dramática canção!

“Proteja-Me Do Que Eu Quiser (Protect Me From What I Want)”
[Brian Molko, Stefan Olsdal, Steve Hewitt. / Versão: João Dias]

É o mal estar do momento
Destruindo nossos sentimentos
Trazendo tantos pensamentos
Que o tempo não irá apagar

Os olhos se fecham de repente
Fantasmas surgem em nossas mentes
Assombrando-nos permanentemente
Neste buraco que é o nosso lar

Proteja-me do que eu quiser
Proteja-me, proteja-me
(Proteja-me, proteja-me)

Vítimas de nosso tempo
Lançados à sorte e ao vento
Esquecidos no firmamento
Esperando tudo se acabar

Tantos excessos vividos
Tantos corações corrompidos
E tantos sonhos perdidos
E agora, tudo irá terminar

Proteja-me do que eu quiser
Proteja-me, proteja-me
(Proteja-me, proteja-me)

Proteja-me, proteja-me
Proteja-me de meus desejos
Proteja-me, proteja-me…

Proteja-me do que eu quiser
Proteja-me, proteja-me

Proteja-me do que eu quiser
Proteja-me, proteja-me

Proteja-me, proteja-me, proteja-me…
Proteja-me, proteja-me, proteja-me…

Proteja-me!

"Protége-moi de mes désirs..."

[João Dias.]

Publicado por: joaobdr | 09/12/2011

Vergonha Alheia, Moda Funkeira e Músicas Idiotas.

Vergonha alheia. Só entende o que é aqueles que possuem o mínimo senso de empatia, ou seja, somente quem consegue se colocar no lugar de outra pessoa e dar graças a Deus por não estar no lugar dela! Sabem quando você escuta “aquela” piadinha ridícula, proferida dos lábios de um ser que é seu conhecido? Então! É aí que você pensa: “ainda bem que eu não sou este cara…”, e ainda alega não conhecê-lo.

Uma coisa que me dá muita vergonha alheia é relacionada à música. Sabe aqueles seres desprezíveis que parecem estar esperando o Governo se pronunciar a respeito de um “Bolsa Fone de Ouvido”? Então, eles me fazem sentir vergonha alheia e raiva! Como pode alguém achar que todo mundo tem ouvido de latrina pra ficar absorvendo tanta bosta proveniente de seus super celulares? E é algo que acontece especialmente com funkeiros e pagodeiros…Estranho, não? É só falta de noção, ou envolve “trollagem”, também? Sério, não consigo entender. Ultimamente, quando estou no ônibus e alguém liga no meu celular perguntando onde estou, eu respondo: “ah, eu aqui num baile funk itinerante!”…

Antigamente, quando se escutava um barulhinho surgindo ao longe, todos já sabíamos: era o senhorzinho do Biju, ou o moço do sorvete! Ou era porque iria chover em breve. Hoje, não! Se tiver um barulho surgindo, certamente é um funk, e já se sabe que logo mais, um bandidinho surgirá na sua frente, com sua camiseta bem “istáili”, suas correntes no pescoço (devia é estar acorrentado pelo braço!), seus chinelos Havaianas (nada contra, até porque eu também uso, mas esses merecem é uma Avaianas de Pau!), penteado estilo Moicano (muuuuito obrigado, Neymar! *clap clap!!*), bermudas coloridas (não importa se há sol ou se está nevando: eles não sentem frio nas pernas! Incrível!) e a porcaria do celular tocando aquela “música” que mais parece um convite pra um banquete no inferno! Ah, tudo isso em cima de uma bicicleta e com um ar de “sou foda”!

Eu fico imaginando como pode um celular fazer tanto barulho? Devem ter um super micro-sistema de som Made in Japan naquelas porcarias, só pode! E já devem vir equipados com furadeira, britadeira, máquina de lavar, PIN pad, teletransporte do Goku pra poder fugir dos hómi[, mano, certo?]…Só não têm os benditos fones de ouvido! Onde é que essa gente compra essas porcarias, hein? No canal Polishop? “E as próximas 100 ligações receberão de graça um par de fones de ouvido pra escutar suas porcarias auditivas sem incomodar ninguém!” Acho que nenhum deles é ágil o suficiente pra estar entre os 100 primeiros…

Se fosse só o fato de escutar música ALTO DEMAIS…Mas não! A música que esses seres infernais escutam são desprovidas que qualquer conteúdo cultural e educativo, além de fugirem completamente da realidade e do bom senso comum (e, muitas vezes, são desprovidas até mesmo de um professor de canto). Um exemplo? Antigamente, pela pessoa amada, o cara:

“Aceitaria a vida como ela é, conseguiria até ficar alegre, pararia de beber, desejaria todo dia a mesma mulher…”

Ou seja: caindo na real, vivendo feliz, mudança de hábitos e fidelidade.

Hoje em dia, pela pessoa amada, o cara:

“Bebe o mar de canudinho, atravessa o Pólo Norte de shortinho, entra descalço num vulcão em erupção, faz um assalto e rouba o seu coração!”

Ou seja: gula, falta de noção geográfica, suicídio e apologia ao crime. E mais uma coisa: atravessar o Pólo Norte de shortinho? Ui, fofa!

O cara mascara tudo aquilo que ele poderia fazer, e que sabe que não irá fazer, por atos de tamanha grandiloquência que visam ludibriar a pessoa amada para ganhar sua confiança.  Quero ver o cara parar de beber hoje em dia. Agora (ham!), em vez disso, ele não só continua bebendo, como também “bebe o mar de canudinho”!

Tem ainda aquele outro cara que diz assim:

“Tá vendo aquela Lua que brilha lá no céu? / Se você me pedir, eu vou buscar só pra te dar!” (Espera uns 10 minutinhos que eu já volto, amor! Vou rápido porque já está quase amanhecendo e a Lua vai sumir…rá!)

Numa dessas, a mulher pode logo testar o seu amor por ela: “Então vai! Pega a p@**@ daquela Lua pra mim, vai!” Aí eu quero ver se o cara é macho, memo!! MAAAACHO, MEMOOOO!!

Então, percebendo a idiotice que acabou de dizer, e pra evitar ser desafiado, logo emenda (e conserta):

“Se bem que o brilho dela nem se compara ao seu!”

Han! Se deu bem, hein! “Ah, meu bem, melhor não! Você é muito mais brilhante que essa bostica de Lua! E mais brilhante do que eu, por fazer uma música assim…ops!”

Agora, eu quero mesmo é ver o cara dizer: “Tá vendo aquele colar de pérolas que brilha lá na vitrine? Se você me pedir, eu vou comprar só pra te dar! Ou ainda, se for casado: “Tá vendo aquela louça que brilha lá na pia? Sem você me pedir, eu vou lavar e vou secar!”, ou mesmo: “Tá vendo aquelas roupas todas sujas lá no tanque? Sem você me pedir, eu vou lavar e vou secar!”

Vai, mano pagodeiro! Tu não é malandro?? Hein??

[João Dias].

Publicado por: joaobdr | 15/11/2011

A Chuva e o Vazio…

Dia chuvoso, frio e escuro…

Dia para ler, ouvir álbuns melancólicos, aprender a tocar mais uma ou duas músicas, dormir sem ter hora para acordar.

Dia para voltar a pensar nas velhas questões sem solução da vida, e repensar certas atitudes.

Dia de reflexão, dia de ficar em casa o dia todo, observando o tempo passar.

Dia de liberar a mente, de acalmar o coração.

Dias assim sempre existirão; é só mais um dia de introspecção.

 

[~João Dias~]

Publicado por: joaobdr | 01/08/2011

Duas Alternativas Para Um Mundo Melhor…

1 – Os seres humanos se conscientizarem de uma vez por todas e começarem a respeitar o próximo, bem como todas as suas diferenças, suas crenças, sexualidade, suas etnias e etc., e a tratar todas as pessoas como gostariam de ser tratados. Ou;

2 – A criação de novas leis que punam severamente quaisquer transgressores, sem sequer um julgamento justo ou oportunidade de defesa, promovendo assim a paz por intermédio do “medo”.

Parece que a segunda opção é a mais realista neste planeta.

« Newer Posts - Older Posts »

Categorias